Divinos Semeadores



 

cropped-copy-cover3.jpgCarnaval. Rio de Janeiro, Brasil. As Escolas de Samba são estrelas do espetáculo. De mãos simples e humildes brota a arte que explode  no desfile. No  barracão nascem fantasias e alegorias. Representações plásticas da narrativa operística. Quebra-cabeça pulsante. Construído pelo talento de artistas anônimos.  Semeado com amor ao saber artesanal, o divino fazer carnavalesco é interpretado pelas imagens de Valéria del Cueto






Caymmi tinha razão

By on 17/06/2017

Caymmi tinha razão

Texto e foto de Valéria del Cueto

Doente do pé e/ou ruim da cabeça, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entre idas, vindas e bênçãos, mandou um recado (!) ao povo do samba: o dinheiro da subvenção da prefeitura para o carnaval 2018 foi reduzido pela metade.

Tal qual marido traído os responsáveis pelo espetáculo foram os últimos a saberem da intenção do alcaide. Em nota ele informou que botará iogurte na merenda das creches cariocas capando um milhão de cada escola do Grupos Especial (50%). Também pretende reduzir a verba do Acesso e cortar os recursos para a montagem da estrutura do desfile dos demais grupos, na Intendente Magalhães. Adieu cultura popular.

O que levaria o bispo Marcello Crivella a provocar um tsunami no mundo do samba, abalando as estruturas de um espetáculo que rende aos cofres da prefeitura  um retorno de 3 bilhões e movimenta em todos os níveis a cadeia produtiva do Rio de Janeiro?

As mesmas intenções que fizeram o agronegócio defenestrar o enredo sobre Xingu da Imperatriz no último carnaval e Luciano Huck correr atrás de uma escola que topasse contar sua riquíssima história na Sapucaí, dias atrás.

O mundo do carnaval é terreno em que se plantando tudo dá. Especialmente notícias e repercussão instantânea. Boa, bonita e barata. O “custo” de uma ação de marketing coordenada é muito baixo quando a capilaridade e a “sonoridade” dos defensores da maior manifestação cultural brasileira são acionadas.

Crivella tem planos maiores. Inicialmente, seu caminho natural, já que nunca participou da administração pública, seria da prefeitura ir para o governo do estado e, então, a Presidência da República seria o limite.

Só que, como verificamos dia a dia, o Brasil tem a capacidade de extrapolar a ficção e desconstruir projetos, especialmente a longo prazo. Com a instabilidade política, a estratégia traçada precisa ser readequada para acompanhar os acontecimentos. Com o cavalo passando encilhado, é hora tentar monta-lo!

Há um vácuo de poder federal e uma possibilidade de se movimentar com a falta de candidatos viáveis para a Presidência já em 2018. Bolsonaro se lançou, mas não é lógico entregar ao alheio o ativo de votos evangélicos. João Dória voa baixo, mas está muito exposto. Seu partido, o PSDB, implodindo.

A bancada e a base evangélica não têm porque apoia-los se tiver um nome com projeção nacional. Crivella pode se viabilizar nessa brecha. Para isso precisa se apresentar e posicionar no tabuleiro eleitoral.

A polêmica carnavalesca é um recurso caseiro para alavanca-lo. O assunto já mostrou que tem abrangência. É briga de cachorro grande e apaixonante. Quantos municípios brasileiros cancelaram seus carnavais em 2017? Será que isso prejudicou a imagem de seus prefeitos? Ao contrário. Fortaleceu. 

Com o quadro atual, Crivella precisa apressar o processo. Bate de frente com o carnaval carioca, ganha exposição e cria um debate nacional que pode posiciona-lo como um possível candidato a presidente.

É jogo alto, baseado em pesquisas, projeções e acordos aos quais os eleitores comuns não têm acesso, mas que estão rolando nos bastidores. Juntando os votos evangélicos com os da direita ele pode virar um trator eleitoral.

O timming está certinho! Se não houver desvios de percurso, pavimenta sua candidatura à Presidência e se equipara a outro candidato (provavelmente da bancada ruralista). Se não der para ganhar, tem cacife para negociar. Que vença o melhor. Para eles.

Somos peça chave nesse tabuleiro. Com um detalhe estratégico: enquanto jogamos damas, ele joga xadrez…

Em tempo: parte dos recursos orçamentários que sobrou do carnaval de 2017, quase um milhão, foi realocado para uma campanha da Riotur de atração de turistas nacionais, a #vemprorio. Segundo anunciou o presidente do órgão, Marcelo Alves, em maio, o custo da iniciativa é de 200 milhões!

*A enquete da Revista Veja sobre o assunto.

**Valéria del Cueto é jornalista, fotógrafa e gestora de carnaval. Essa crônica faz parte da série “É Carnaval”, do SEM   FIM…  delcueto.wordpress.com






Posted in: Carnaval 2018, Texto

Mangueira carnaval 2017, desfile das Campeãs

By on 25/05/2017

Mangueira carnaval 2017, Campeãs Ensaio fotográfico da Mangueira carnaval 2017, desfile das Campeãs das Escolas da Samba do Grupo Especial, sábado, 04 de março de e 2017. A verde e rosa  ficou em quarto lugar  com o enredo “Só com

É sério?

By on 13/05/2017

É sério? Texto e foto de Valéria del Cueto É praia, é mar, é dia, é Rio. Tudo substantivo perfeito se não fossem… os adjetivos que acompanham. É praia “chocha”, é mar gelado, é dia nublado. É Rio… Só rindo

Estação Primeira de Mangueira faz 89 anos

By on 28/04/2017

Hoje, 28 de abril de 2017,  a Estação Primeira de Mangueira completa 89 anos de histórias de Brasil! Deixo aqui uma saudação e minha gratidão aos amigos que me levaram ao Palácio do Samba e àqueles que me permitem, os

Uruguaiana, carnaval 2017

By on 28/03/2017

Uruguaiana, carnaval 2017.  Mais um registro fotográfico,  dessa vez do Carnaval Fora de Época de Uruguaiana, Rio Grande do Sul. Localizada na fronteira oeste do estado, divisa com a Argentina, a cidade tem tradição na festa Realizada num formato semelhante

(Ainda) é carnaval

By on 27/03/2017

(Ainda) é carnaval Texto e foto de Valéria del Cueto Eita carnaval 2017 que não acaba… Pulei duas semanas de escrivinhação sem um grande estímulo pra sair da vida de foliã já que a realidade não está fácil pra ninguém.

Mangueira carnaval 2017, desfile de segunda

By on 09/03/2017

Mangueira carnaval 2017 Ensaio fotográfico da Mangueira no Desfile das Escolas da Samba do Grupo Especial, segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017, com o enredo “Só com a Ajuda do Santo“, do carnavalesco Leandro Vieira. O ensaio fotográfico é de

Voa, águia portelense…

By on 04/03/2017

Voa, águia portelense… Texto e foto de Valéria del Cueto Carnaval do Rio: Portela campeã 33 anos após sua última conquista.  Madureira comemora em dose dupla: Império Serrano retorna ao Especial em 2018. Já deu pra ver que não sou

CarnevaleRio de Valéria del Cueto @delcueto